REUTERS/Eric Gaillard
REUTERS/Eric Gaillard

Líderes políticos condenam massacre em Nice e mostram união frente ao terrorismo

Políticos reagem ao massacre na Riviera Francesa, em que um caminhão atropelou diversas pessoas, deixando ao menos 84 mortos e mais de 100 feridos

O Estado de S.Paulo

15 de julho de 2016 | 09h30

PARIS - Políticos de todo o mundo reagiram com horror ao atentado com um caminhão contra uma multidão que celebrava o dia da Queda da Bastilha em Nice, na Riviera Francesa, que deixou ao menos 84 mortos e mais de 100 feridos.

Veja abaixo as reações dos principais líderes políticos pelo mundo.

Ataque "reavivou as terríveis lembranças do 13 de novembro".

Anne Hidalgo, prefeita de Paris

"Neste 14 de julho, lembramos (...) os valores democráticos que fizeram da França uma inspiração para o mundo inteiro."

Barack Obama, presidente dos Estados Unidos

"Hoje, mais do que nunca, somos todos franceses. (...) O Brasil se une a todos que desejam e lutam pela paz e harmonia no mundo."

Michel Temer, presidente do Brasil interino

"Não podemos nos deixar amedrontar, nem nos abatermos. O povo francês saberá superar mais esta tragédia."

Dilma Rousseff, presidente do Brasil afastada

"Estamos todos unidos no estupor após este ataque mortal em Nice."

Angela Merkel, chanceler da Alemanha

"Vimos novamente que o terrorismo ignora absolutamente o que é a moral humana (...). A Rússia está disposta a cooperar estreitamente com a França" para "lutar contra o terrorismo."

Vladimir Putin, presidente da Rússia

"Sentimos como nossa a dor de nossos vizinhos. É a dor de todas as pessoas de bem, vítimas potenciais da barbárie, da irracionalidade e do desprezo mais absoluto pela vida humana."

Mariano Rajoy, primeiro-ministro da Espanha

"Não deixar os franceses sozinhos é compromisso da Itália e de toda a comunidade internacional."

Matteo Renzi, primeiro-ministro da Itália

"Comovido e triste pelos terríveis acontecimentos em Nice, e pela terrível perda de vidas."

Boris Johnson, novo ministro das Relações Exteriores do Reino Unido

"O México reprova qualquer ato de violência como o ocorrido em Nice."

Enrique Peña Nieto, presidente do México

"Nossa solidariedade às vítimas e feridos do atentado em Nice. Rejeitamos toda forma de violência."

Juan Manuel Santos, presidente da Colômbia

"Os canadenses estão comovidos."

Justin Trudeau, primeiro-ministro do Canadá

"O ataque terrorista covarde e bárbaro que atingiu a cidade de Nice me consternou."

Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia

"Dia triste para a França, para a Europa". “Trágico" que "as vítimas do ataque sejam pessoas que celebravam a liberdade, igualdade e fraternidade."

Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu.

"Reafirmamos nosso compromisso de unir nossas forças para combater a peste do terrorismo."

Cúpula Europa-Ásia (dirigentes e representantes de 51 países asiáticos e europeus, reunidos na Mongólia)

"Solidariedade e cooperação para enfrentar juntos atos terroristas."

Arábia Saudita

"Crime abjeto.”

Emirados Árabes Unidos

Ataque “bárbado e covarde”.

Conselho de Segurança das Nações Unidas

/AFP

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaTerrorismoNiceCaminhão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.