Líderes rejeitam fazer concessões sobre reféns

CAMP DAVID, EUA - Os presidentes George W. Bush, dos EUA, e Hamid Karzai, do Afeganistão, concordaram ontem que o Taleban não deve obter nenhuma concessão para a libertação dos 21 missionários sul-coreanos seqüestrados no dia 19, disse Gordon Johndroe, porta-voz da Casa Branca. Militantes taleban disseram ontem que Bush e Karzai, que se reuniram em Camp David, deveriam concordar com a libertação de combatentes ou seriam responsabilizados pela morte dos 21 sul-coreanos. O Taleban já matou 2 reféns e reiteradamente ameaça matar os outros 21 missionários seqüestrados - entre eles, 18 mulheres.A nova ameaça taleban foi feita em meio ao impasse sobre o local para um encontro entre diplomatas sul-coreanos e os seqüestradores. Os diplomatas buscam manter contato direto com o grupo, depois de ter conseguido falar por telefone com um dos reféns. O Taleban exige que o encontro seja realizado em território sob seu controle ou em algum outro local, mas com garantias da ONU. No entanto, após quatro dias de negociações, não se chegou a um acordo.O governo sul-coreano vem sofrendo intensa pressão interna para garantir a libertação dos reféns, mas Seul já comunicou aos rebeldes que não tem poder para libertar os militantes que estão em prisões afegãs.Ainda ontem, o marido de uma das reféns colocou um vídeo no YouTube, dizendo a sua mulher - Ryu Hang-sik - para não perder a esperança, pois eles se verão em breve. "Precisamos ser pacientes por um pouco mais. Pelo bem de nossos filhos, permaneça forte e saudável. Por favor, mantenha pensamentos positivos", disse Kim Yun-yeong.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.