Líderes turcos insistem em obter permissão para os EUA

O governo da Turquia anunciou que agirá em caráter de urgência a fim de permitir a entrada de tropas dos Estados Unidos no país para a guerra com o Iraque. O anúncio foi feito ao término de uma reunião entre o presidente Ahmet Necdet Sezer, integrantes do governo e altos oficiais militares. Os EUA têm feito pedidos insistentes para que a Turquia permita tropas norte-americanas no país para atacar o Iraque pelo norte (e não somente pelo sudoeste, via Kuwait, ou a partir de navios no Golfo Pérsico).A Constituição turca, porém, determina que só o Congresso do país pode dar uma autorização como essa. A autorização havia sido negada pelo Legislativo antes da formação do novo governo, chefiado pelo primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan. Segundo o porta-voz da presidência, Tacan Ildem, o governo vai reapresentar a proposta ao Congresso em breve.Também nesta segunda-feira, os mercados turcos desabaram em meio aos temores de que se inicie uma guerra dos Estados Unidos contra o Iraque e de que Washington retire um pacote de ajuda a Ancara, projetado para amenizar o impacto do conflito sobre a frágil economia da Turquia.Funcionários norte-americanos comentaram que um pacote de ajuda de US$ 15 bilhões para compensar a Turquia por eventuais perdas na guerra havia sido retirado da mesa, depois de o Parlamento turco ter rejeitado, no início do mês, a permissão de entrada a 62.000 soldados norte-americanos para abrir uma frente de combate pelo norte do Iraque.O principal índice da Bolsa de Valores de Istambul, IMKB-100, caiu 10,5% a 9.482 pontos, o nível mais baixo deste ano. A lira turca perdeu 2,2% de seu valor e era cotada a 1.676.000 liras por dólar, segundo número do Banco Central.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.