Líderes usam encontro para anunciar acordos

Começam hoje - e seguem até o dia 3 - os discursos na Assembléia-Geral da ONU, em Nova York. Pelos próximos nove dias, líderes de todas as partes do mundo ocuparão a tribuna. Como manda a tradição, desde 1949, o primeiro a falar será o presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva. A reunião da ONU é o momento usado por líderes mundiais para conversar reservadamente com representantes de outras nações e anunciar acordos e medidas sobre diversos temas. O presidente da França, Nicolas Sarkozy, por exemplo, aproveitou a ocasião para informar, ontem, que em seu discurso na ONU tratará do programa nuclear iraniano e do conflito em Darfur, no Sudão. "O desenvolvimento de armas nucleares pelo Irã é inaceitável", disse Sarkozy. Ele avisou que se reunirá com Lula, com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e com os presidentes do Afeganistão, Hamid Karzai, e da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas. Sarkozy disse ainda que visitará o Afeganistão em 2008 e seu colega venezuelano, Hugo Chávez, irá à França em novembro.Outro assunto que será debatido nos corredores da ONU é a questão da independência de Kosovo. Sérvios e albaneses estão marcando várias reuniões. Ontem, Slobodan Samardzic, ministro sérvio para Kosovo, disse que apresentará uma nova proposta que daria "95% de independência aos kosovares", que até então se mantêm intransigentes em defesa da autonomia completa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.