Lieberman diz que condições em Ramallah são desesperadoras

O senador norte-americano Joseph Lieberman manifestou seu apoio a um Estado palestino independente e soberano em visita feita nesta segunda-feira a Ramallah e qualificou como "desesperadoras" as condições nesta cidade da Cisjordânia. Lieberman, candidato democrata a vice-presidente em 2000, é considerado um dos nomes mais fortes para representar seu partido nas eleições presidenciais de 2004 nos Estados Unidos. Ele comentou que tomará a decisão sobre candidatar-se às primárias do Partido Democrata apenas em 2003. Em sua primeira viagem a Israel e aos territórios palestinos desde meados de 2000, Lieberman disse ter levado uma mensagem do Congresso dos Estados Unidos sobre seu desejo de participar ativamente no processo de paz para o Oriente Médio. "Existe um forte apoio às aspirações do povo palestino por um Estado independente. A questão é se haverá, aqui e no resto do mundo, líderes capazes de conquistar este objetivo mais cedo ou mais tarde", disse Lieberman a jornalistas após um encontro com Yasser Abed Rabbo, ministro palestino da Informação. Abed Rabbo criticou o governo norte-americano por apoiar o que qualificou como "os crimes e as atrocidades dos israelenses contra os palestinos". "É importante dar esperanças aos palestinos e aos israelenses, pois sem esperança não haverá progresso", declarou o democrata. Andando por Ramallah - uma cidade reocupada pelo Exército de Israel em junho último -, Lieberman surpreendeu-se com os estragos causados ao principal pólo comercial palestino. "As condições humanitárias são desesperadoras aqui", denunciou. Lieberman, que ontem encontrou-se com o primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, conversou hoje também com o ministro palestino Saeb Erekat. Segundo Erekat, eles falaram sobre a presença dos assentamentos judaicos em territórios palestinos e sobre a urgente necessidade de se retomar o processo de paz. "Concordamos que, se houver paz, haverá uma solução de coexistência entre dois Estados", disse Erekat depois de comentar que todos os esforços devem ser feitos para que o processo de paz seja retomado.

Agencia Estado,

23 Dezembro 2002 | 13h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.