Liga Árabe pede a Assad que renuncie à presidência síria

Grupo de países também informou que apoia plano da Organização para a Libertação da Palestina

Agência Estado, Agência Estado

22 de julho de 2012 | 20h19

Os países da Liga Árabe pediram ao presidente da Síria, Bashar Assad, que renuncie logo ao poder para pôr fim aos distúrbios no país, afirmou neste domingo o emir do Qatar, xeque Hamad bin Khalifa Al-Thani, depois de uma reunião da entidade em Doha. "Há um acordo sobre a necessidade de uma rápida renúncia do presidente Bashar Assad", disse o xeque a jornalistas depois de uma reunião de ministros da Liga Árabe.

Na reunião, a Liga Árabe informou também que apoia o plano da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) para pedir à Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) que reconheça a existência de um Estado palestino na Cisjordânia, na Faixa de Gaza e em Jerusalém Oriental. A afirmação foi feita neste domingo pelo negociador palestino Saeb Erekat.

De acordo com ele, representantes da Liga Árabe reunidos em Doha incumbiram uma comissão de preparar uma reivindicação à ONU. O documento deverá ser submetido à apreciação dos chefes de delegação da Liga Árabe em 5 de setembro, mas ainda não se sabe quando a reivindicação será apresentada à ONU.

Os palestinos buscam o reconhecimento pela Assembleia Geral da ONU para reafirmar as marcações territoriais anteriores à Guerra dos Seis Dias, travada em 1967, como as fronteiras de um futuro Estado independente, soberano e com contiguidade territorial. Estados Unidos e Israel opõem-se à iniciativa palestina de buscar o reconhecimento internacional, apesar de as negociações estarem suspensas desde 2008. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaLiga ÁrabeAssad

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.