Liga Árabe pede à ONU que pressione Israel

Representantes da Liga Árabe pediram nesta terça-feira ao Conselho de Segurança da ONU para pressionar Israel para que suspenda imediatamente o cerco a cidades palestinas, e umaautoridade palestina afirmou que pode ter chegado o momento deEgito e Jordânia romperem relações com o Estado judeu.O ministro do Planejamento palestino, Nabil Shaath, que está no Cairo, disse que os palestinos querem que o mundo árabe adote "medidas práticas" contra Israel - e não apenas divulguem denúncias.Perguntado se o Egito e a Jordânia deveriam romper relações com Israel, como algumas nações árabes têm exigido, Shaath respondeu: "Penso que sim"."Nunca pedimos isto antes porque estamos buscando nós mesmos relações com os israelenses", afirmou Shaath à Associated Press na sede da Liga Árabe. "Nunca pedimos por nada que pudesse ircontra o processo de paz. Mas, hoje, Israel destruiu todas as chances para um processo de paz". O Egito e a Jordânia, considerou, têm de dar "sérios passos" para demonstrar sua irritação.Shaath concedeu a entrevista no momento em que representantes da Liga Árabe emitiam o comunicado final de sua reunião apressadamente convocada sobre a crise nos territórios palestinos. Os embaixadores da Liga Árabe pediram ao Conselho de Segurança da ONU para pressionar Israel para implementar resoluções do conselho e retirar imediatamente suas forças de áreas palestinase suspender incondicionalmente o cerco aos palestinos e a seu líder, Yasser Arafat.Em seu comunicado, a Liga exortou o Conselho de Segurança a enviar tropas internacionais de paz a fim de supervisionar a retirada das forças israelenses e para separar israelenses e palestinos. Ela também exigiu que trabalhadores médicos e humanitários possam exercer suas funções com liberdade nosterritórios palestinos.A Liga responsabilizou Israel por sabotar iniciativas de paz e por deteriorar a situação de segurança na região. Os palestinos queriam uma reunião de emergência nesta quarta-feira dos chanceleres das 22 nações da Liga Árabe. Mas parece ser improvável que a reunião seja realizada em tão poucotempo. O secretário-geral da Liga, Amr Moussa, disse na noite de hoje que uma decisão final sobre a questão ainda não havia sido tomada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.