Liga Árabe pede fim da ofensiva contra Faluja

O secretário-geral da Liga Árabe, Amr Moussa, pediu o fim da ofensiva militar americana contra a cidade iraquiana de Faluja e disse ter mantido contato com diversas autoridades iraquianas com o objetivo de "conter a situação". "Ninguém pode aceitar de jeito nenhum a forma como os civis são atacados em Faluja, como vem acontecendo agora", disse Moussa a jornalistas no Cairo. "Esperamos que o que está acontecendo em Faluja termine logo", declarou o diplomata antes de uma visita à Espanha. Ele qualificou a ofensiva como "muito grave". Ontem, depois de uma reunião com o chanceler interino do Iraque, Hoshyar Zebari, Moussa disse que "os acontecimentos lamentáveis" em Faluja foram temas de uma conversa com o secretário-geral da ONU, Kofi Annan.O secretário-geral da Liga Árabe denunciou a opção militar e defendeu que "o diálogo, a compreensão e o acordo" deveriam ser as bases para a negociação com todas as facções iraquianas, inclusive as do Triângulo Sunita, que inclui a cidade de Faluja. Ainda nesta terça-feira, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia alertou que a ofensiva americana iniciada ontem contra Faluja poderá prejudicar a realização das eleições iraquianas, inicialmente previstas para janeiro. "Estamos preocupados com a possibilidade de essas ações prejudicarem ainda mais as condições para a realização de possíveis eleições", comentou Alexander Yakovenko, porta-voz da chancelaria russa, numa entrevista coletiva concedida em Moscou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.