Liga Árabe pede fim de bloqueio israelense a Gaza

Representando 22 países, secretário-geral de órgão faz a primeira visita de um alto oficial árabe a Gaza desde 2007.

BBC Brasil, BBC

13 de junho de 2010 | 08h33

O secretário-geral da Liga Árabe, o egípcio Amr Moussa, pediu neste domingo o fim do bloqueio israelense à Faixa de Gaza, durante a primeira visita de um alto funcionário árabe ao território palestino desde que o Hamas assumiu o poder em 2007.

A visita é parte de um esforço internacional pelo fim do bloqueio, imposto contra o governo do Hamas. "Este bloqueio, que estamos aqui para confrontar, deve ser encerrado. A posição da Liga Árabe é clara", disse Moussa.

O secretário-geral da Liga Árabe entrou no território palestino a partir do território egípcio pela cidade de Rafah. A fronteira foi aberta pelo Egito após o ataque israelense, no dia 31 de maio, a uma frota de barcos que levavam ativistas pelos direitos humanos e pretendiam prover ajuda a Gaza.

Na operação da Marinha israelense, nove ativistas foram mortos e diversos outros ficaram feridos, o que gerou uma forte reação internacional contra as medidas israelenses.

Bloqueio

Israel diz que o bloqueio a Gaza é necessário para evitar ataques do Hamas e de outros grupos militantes palestinos.

Entretanto, críticos apontam que as restrições castigam principalmente a empobrecida população de Gaza, de 1,5 milhão de habitantes.

Muitos moradores ainda vivem em campos improvisados desde a última incursão israelense no território, entre dezembro de 2008 e janeiro de 2009.

Na semana passada, o presidente dos EUA, Barack Obama, afirmou que o bloqueio é "insustentável" e prometeu uma ajuda de centenas de milhões de dólares ao território palestino.

No início deste mês, a Liga Árabe, que representa 22 países árabes, afirmou que pediria o fim do bloqueio no Conselho de Segurança da ONU.

Aproximação

Ao chegar a Gaza neste domingo, Moussa foi recebido por representantes de todos os grupos políticos palestinos.

Durante o dia em que permanecerá no território palestino, ele tem na agenda encontros tanto com membros do Hamas, que controla Gaza, quanto do Fatah, que controla a Cisjordânia.

Os dois partidos são rivais desde que o Hamas expulsou o Fatah de Gaza utilizando violência em 2007.

O correspondente da BBC em Jerusalém, Tim Franks, disse que a visita do chefe da Liga Árabe tem como finalidade promover uma aproximação entre as facções rivais.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.