Liga Árabe pede intervenção dos EUA em conflito

O líder da Liga Árabe, Nabil al-Arabi, pediu que o presidente Barack Obama tome uma atitude mais proativa na solução do conflito entre Israel e Palestina no seu próximo mandato. "Esperamos que a nova gestão americana adote uma política de resolução dos conflitos em vez de administração dos conflitos", disse Arabi durante uma visita com o ministro de Relações Exteriores do Egito, Mohammed Kamel Amr, à sede do presidente Mahmud Abbas na Cisjordânia.

AE, Agência Estado

29 de dezembro de 2012 | 19h45

Arabi contou que, na reunião de quatro horas com Abbas, eles discutiram a promessa da liga Árabe em oferecer uma rede de segurança econômica de US$ 100 milhões por mês para aliviar as sanções que Israel impôs após a conquista histórica da Palestina, que teve seu status elevado de entidade para Estado na Organização das Nações Unidas (ONU).

"Nós discutimos o apoio financeiro e político para a Autoridade Palestina e a rede de segurança árabe sob a qual US$ 100 milhões deveriam ser oferecidos por mês, mas não foram entregues", disse Arabi. Sem dar mais detalhes, o membro da Liga também afirmou que a Autoridade Palestina, que tem sede na Cisjordânia, está passando por uma crise financeira e que ele e o líder palestino concordaram em formas de enfrentar o problema. Outros ministros de Relações Exteriores devem visitar Ramallah "nos próximos dias e semanas", declarou. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
conflitoPalestinaIsraelLiga Árabe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.