Liga Árabe pede que Conselho de Segurança da ONU discuta o conflito

Os membros da Liga Árabe pediram ontem, no Cairo, uma reunião "imediata" do Conselho de Segurança da ONU, planejada para acontecer às 21 horas no horário de Brasília, para tratar dos ataques israelenses contra a Faixa de Gaza. "Essa agressão não pode ser justificada", disse o chanceler da Arábia Saudita, Saud al-Faisal, lendo o comunicado oficial da cúpula. "Pedimos que o Conselho de Segurança da ONU se reúna imediatamente para adotar uma resolução que permita parar essa agressão."Alguns líderes também criticaram as desavenças entre grupos palestinos e pediram união contra os israelenses. Segundo Faisal, são as disputas entre o grupo islâmico Hamas e o Fatah, partido laico do presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, que impedem uma resposta efetiva da comunidade árabe aos ataques israelenses na Faixa de Gaza. "Essa terrível matança não teria ocorrido se os palestinos estivessem unidos", disse. O secretário-geral da Liga Árabe, o egípcio Amr Moussa, concorda. "A debilidade da posição árabe e as divisões entre os palestinos fizeram com que os árabes sejam ignorados (na comunidade internacional)", afirmou.Hamas e o Fatah não conseguiram entrar em acordo para formar um governo de coalizão após as eleições parlamentares de 2006. O Hamas controla Gaza desde junho de 2007, quando expulsou as forças de segurança leais a Abbas.Durante a reunião de emergência no Egito, os integrantes da Liga Árabe também discutiram uma proposta de trégua feita pelo Egito. Diversos países muçulmanos anunciaram medidas de solidariedade aos palestinos ontem.O Egito e os Emirados Árabes Unidos cancelaram os festejos de ano-novo. Em Teerã, grupos estudantis pediram ao governo que autorize a saída de voluntários suicidas iranianos para atacarem Israel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.