Amel Pain / EFE - 22.01.2012
Amel Pain / EFE - 22.01.2012

Liga Árabe prorroga missão na Síria; mais 11 são mortos

Continuam os embates entre tropas locais e desertores do exército do país

AE, Agência Estado

22 de janeiro de 2012 | 18h41

Confrontos entre tropas sírias e desertores do exército irromperam neste domingo em um subúrbio da capital Damasco, no mesmo dia em que a Liga Árabe informou no Cairo que estenderá por mais um mês sua missão de observadores na Síria. O governo da Arábia Saudita, contudo, disse que retirará seus observadores dessa missão. Pelo menos cinco pessoas foram mortas em Douma, um subúrbio de Damasco, de acordo com grupos de ativistas. Não foi possível confirmar as informações sobre confrontos e mortes na Síria de maneira independente.

Os Comitês de Coordenação Local, um grupo de ativistas sírios, afirmaram que 12 pessoas foram mortas neste domingo em confrontos ao redor do país. Os números são semelhantes aos divulgados pela agência estatal de notícias do governo sírio, a Sana, a qual afirma que 11 pessoas foram mortas, a maioria soldados regulares atacados por "terroristas" principalmente em Douma e nas províncias de Homs e Hama, na Síria Central.

"Existe um progresso parcial na implementação das promessas" do governo sírio, disse no Cairo o chefe da Liga Árabe, Nabil El- Arabi. A Síria "não cumpriu todas as suas promessas, embora tenha implementado parte do que prometeu", afirmou o secretário-geral. Ele disse que o uso de uma "força extrema" da parte do governo de Assad levou a uma reação dos opositores "no que poderá levar a uma guerra civil". O governo da Arábia Saudita anunciou neste domingo que está retirando seus observadores da missão na Síria. "O governo sírio não implementou o plano árabe", disse o ministro das Relações Exteriores da Arábia, Saudi al-Faisal.

Tanto os Comitês como o Observatório Sírio pelos Direitos Humanos, grupo sediado em Londres, informaram que violentos combates foram retomados em Douma neste domingo entre desertores e tropas leais ao presidente Bashar Assad. Os dois grupos também reportaram tiroteios na cidade de Homs, com a morte de pelo menos uma pessoa.

A agência Sana disse que sete militares e funcionários públicos foram "martirizados" por ataques de "terroristas" no subúrbio de Douma, em Damasco, e também nas províncias de Deraa, Homs e Hama.

A missão de observadores da Liga Árabe na Síria foi prorrogada por mais um mês, afirmaram neste domingo autoridades da organização de 22 membros. A decisão foi tomada durante um encontro de ministros árabes de relações exteriores no Cairo, onde resolveram acrescentar mais membros à missão e fornecer mais recursos. As autoridades disseram que as Nações Unidas vão treinar os observadores.

A decisão era amplamente esperada, depois que a missão, tecnicamente problemática, expirou na quinta-feira. Muitos participantes do movimento de oposição da Síria reclamam que os observadores da Liga Árabe não foram capazes de conter o derramamento de sangue no país durante os dez meses de repressão violenta por parte do governo.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.