Lituânia confirma expulsão de diplomata russo por espionagem

O presidente e o primeiro-ministro da Lituânia confirmaram nesta segunda-feira a expulsão de um diplomata russo por suspeita de espionagem e expressaram a esperança de que este incidente não prejudique as relações entre Vilnius e Moscou."Se um espião é descoberto, há regras que prevêem sua expulsão do país", afirmou o presidente lituano, Valdas Adamkus.O presidente disse também que "não seria estranho se a Rússia, sem ter fundamentos para fazê-lo, responda com reciprocidade e expulse um diplomata lituano de Moscou", mas expressou o desejo de que o caso não vá além e não afete as relações bilaterais.O primeiro-ministro, Gediminas Kirkilas, também confirmou o incidente, apesar de este não ter sido anunciado oficialmente pelo governo.A embaixada da Rússia em Vilnius se negou a comentar o assunto, enquanto em Moscou o Ministério de Assuntos Exteriores russo disse que não podia confirmar a expulsão de seu diplomata e que tenta esclarecer a situação em contatos com a parte lituana.O ministro de Exteriores lituano, Petrás Vaitekunas, disse não poder "nem confirmar nem desmentir" a expulsão do diplomata russo."O importante para nós é conservar o diálogo construtivo e as boas relações com a Rússia", afirmou.O presidente do Comitê de Assuntos Exteriores do Parlamento lituano, Justinas Karosas, disse à Rádio Nacional que "este fato, se ocorreu, cabe aos serviços secretos, encarregados de detectar as violações do status diplomático"."Mas me agrada que tanto a parte lituana como a russa estejam evitando elevar este assunto aos níveis políticos", acrescentou.Karosas acrescentou que o presidente do comitê de Assuntos Internacionais da Duma (Parlamento russo), Konstantin Kosachov, viajará na terça-feira a Vilnius em uma visita de trabalho durante a qual este assunto será analisado.Em fevereiro de 2004, a Lituânia expulsou e declarou "personas non grata" três diplomatas russos por atividades incompatíveis com seu status, e em julho do mesmo ano fez o mesmo com outros três funcionários da embaixada da Rússia em Vilnius.Em resposta, Moscou expulsou em março de 2004 três diplomatas lituanos, e em agosto do mesmo ano fez o mesmo com o adido militar da embaixada lituana e se negou a creditar seu substituto, segundo lembrou hoje a agência russa Interfax.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.