Livni pode apoiar Bibi como premiê em troca de cargos

Os dois principais candidatos ao cargo de primeiro-ministro de Israel, a chanceler Tzipi Livni, do partido de centro Kadima, e Binyamin "Bibi" Netanyahu, do direitista Likud, negociam se unir para formar uma coalizão de governo, segundo pessoas ligadas aos políticos. Mas quem lideraria a aliança seria Bibi, apesar de o Likud ter obtido 27 cadeiras da Knesset (Parlamento israelense), 1 a menos que o Kadima. Livni estaria disposta a abrir mão de ser premiê se Bibi concordar em excluir da coalizão alguns partidos de extrema direita e deixar para o Kadima alguns ministérios importantes, como os de Relações Exteriores, Defesa e Educação. Com uma vitória muito apertada e poucos partidos para formar uma coalizão que alcance mais da metade das 120 cadeiras da Knesset, o Kadima pode se tornar o primeiro partido a ser o mais votado e não liderar o governo. Livni também estuda a possibilidade de ficar como oposição.Mesmo sem o apoio de Livni, o Likud conta com um forte bloco de direita para formar um governo de união.O presidente israelense, Shimon Peres, inicia na quarta-feira as consultas oficiais com os representantes dos partidos para determinar a formação do governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.