Livro em que O.J. Simpson fala sobre assassinato é cancelado

Após uma enxurrada de críticas, a editora ReganBooks, subsidiária do conglomerado midiático norte-americano News Corp., informou nesta segunda-feira, 20, que cancelou a publicação do livro If I Did it (Se tivesse feito isso), do ex-jogador de futebol americano O.J. Simpson.No livro, Simpson, que em 1995 foi acusado - e inocentado - pelo assassinato de sua mulher e de um amigo, faz um relato de como ele os teria matado "se tivesse feito isso". "Eu e alguns supervisores concordamos com o público americano e acreditamos que isso é um projeto doentio", disse Rupert Murdoch, presidente da News Corp. "Pedimos desculpas por qualquer incômodo que isso tenha causado às famílias de Ron Goldman (amigo de Simpson e possível amante de sua mulher) e Nicole Brow Simpson (mulher do ex-jogador)."Emissoras de televisão afiliadas à Fox-News também cancelaram a transmissão de um especial de duas partes contando a história do crime, que iria ao ar na semana que vem - antes de o livro ser lançado.A editora Judith Regan, da ReganBooks, afirmou que considera o livro como a confissão de Simpson. Parentes das vítimas criticaram fortemente a publicação do livro. "Ele destruiu meu filho e tirou de minha família o futuro e a vida de Ron. Por isso sempre o odiarei e o considerarei desprezível", disse Fred Goldman, pai de Ron, à ABC.Para a indústria editorial, o cancelamento de If I Did It foi inesperado. Diversos livros foram recolhidos nos últimos anos devido a acusações de plágio, mas, pelo que se saiba, nenhum fora cancelado simplesmente por possuir conteúdo repreensível.As pré-vendas do livro foram grandes, mas não sensacionais. If I Did it estava na lista dos 20 mais vendidos da livraria virtual Amazon.com no fim de semana. Porém, nesta segunda-feira, já caíra para a 51ª posição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.