Livro revela plano de Escobar para controlar a Colômbia

O jornalista colombiano Gonzalo Guillén apresentou nesta sexta-feira o livro "Os Confidentes de Pablo Escobar", no qual relata o plano do multimilionário chefão do tráfico de drogas para tomar o controle do país nos anos 80.O livro analisa principalmente o assassinato do candidato presidencial Luis Carlos Galán, em 1989, por ordem de Escobar, chefe do antigo cartel de Medellín. O político liberal figurava comofavorito para ganhar as eleições do ano seguinte."A morte de Galán foi o começo de um plano de tomada de controle do país que ainda continua", disse Guillén, que é correspondente na Colômbia do jornal americano "El Nuevo Herald".O livro inclui dados que os juízes não investigaram a fundo, segundo o autor. Ele citou o testemunho da ex-estrela da televisão colombiana Virginia Vallejo. No ano passado, ela reconheceu ter sido amante de Escobar, morto pela Polícia em Medellín, em 1993.Guillén explicou que "o objetivo é que toda a documentação chegue ao público, porque são fatos históricos que não podem ficar guardados"."Os Confidentes de Pablo Escobar" aprofunda a acusação ao ex-senador Alberto Santofimio Botero, que manteve ligações com Escobar e foi rival de Galán no Senado. Ele está detido desde 2005.Santofimio, ex-ministro da Justiça e ex-presidente da Câmara, aparece no livro como mentor do assassinato de Galán. "O objetivo era criar um mapa político favorável aos interesses da máfia",acusou o jornalista.O livro também cita testemunhos de "Popeye", um dos auxiliares próximos de Escobar, e do ex-parlamentar Carlos Oviedo Alfaro, detido por assassinato.O jornalista dedica um capítulo a descrever a penetração da máfia em setores da economia, da política e do Governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.