Livro traz bastidores de eleição de Bush

Um mês depois de a Suprema Corte ter decidido, por 5 votos a 4, que George W. Bush era o novo presidente dos Estados Unidos, o juiz dissidente David Souter afirmou que poderia ter modificado a posição de seu colega Anthony Kennedy se tivesse contado com um dia a mais de tempo, informa um novo livro sobre a disputa presidencial. David A. Kaplan, jornalista da revista Newsweek, indica que Souter formulou seu comentário ao analisar o tema com um grupo de estudantes. À época, Souter disse que se tivesse tido "um dia a mais...um dia a mais" poderia ter persuadido Kennedy a votar contra Bush.O livro "The Accidental President" ("O presidente acidental") foi apresentado na mais recente edição da Newsweek. Nele, Kaplan afirma que expõe a forma como o governo Bush manejou a eleição de 2000, que foi decidida no Estado da Flórida. O republicano Bush foi declarado vencedor sobre o democrata Al Gore 36 dias depois das eleições, após a decisão da Suprema Corte que pôs fim à recontagem dos votos na Flórida.Em parte do livro, Kaplan focaliza Souter, que queria que o Congresso decidisse a disputa. "Embora uma decisão política da eleição pudesse não ser tão rápida e cheia de conflitos, mesmo assim, a nação a aceitaria", afirma Kaplan.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.