Lixo espacial na órbita da Terra chega ao limite

A quantidade de detrito espacial chegou a um ponto crítico e a agência espacial dos Estados Unidos (Nasa) precisa encontrar uma maneira melhor de monitorar e limpar o lixo na órbita da Terra, que ameaça os cerca de mil satélites comerciais, militares e civis em funcionamento e viagens espaciais tripuladas.

AE, Agência Estado

03 Setembro 2011 | 09h40

Essa é a conclusão do relatório do Conselho Nacional de Pesquisa do país, divulgado anteontem. "Teremos muito mais colisões, a uma taxa cada vez maior", afirmou Don Kessler, um ex-cientista da Nasa que presidiu o comitê que preparou o relatório. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
lixo espaciallimiteNasa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.