Lobo respalda decisão do Parlamento de não restituir Zelaya

Presidente eleito ainda reiterou que vai elaborar um plano de desenvolvimento de Honduras

Efe,

03 de dezembro de 2009 | 04h43

O presidente eleito de Honduras, Porfirio Lobo, respaldou hoje a decisão do Parlamento de não restituir o governante deposto, Manuel Zelaya.

 

"Respeito a decisão do Congresso", disse Lobo, do Partido Nacional, à rede de televisão "TN5" após a decisão do parlamento de rejeitar a restituição de Zelaya ao poder por 111 votos a 14, de um total de 128 deputados (três ausentes).

 

Lobo, vencedor das eleições do último domingo, lembrou que o Congresso debateu sobre a restituição de Zelaya em cumprimento do Acordo Tegucigalpa-San José, assinado em 30 de outubro por representantes do presidente deposto e do governo interino, liderado por Roberto Micheletti.

 

"Peço aos responsáveis pelo acordo para que continuem a cumprí-lo", disse.

 

Lobo reiterou ainda que amanhã deve dar o primeiro passo para a elaboração de um plano de desenvolvimento do país. O projeto terá que passar pelo parlamento para que o novo presidente possa executá-lo quando assumir o poder, no dia 27 de janeiro.

 

A maior parte da comunidade internacional não reconhece as eleições vencidas por Lobo por considerar que a derrocada de Zelaya, em 28 de junho, desrespeitou a constituição hondurenha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.