Reprodução/BBC
Reprodução/BBC

Lojas de Bariloche são alvo de saques na Argentina

Para governador, motivação de saques era política, para passar imagem de caos; em 2001, saques e protestos derrubaram governo.

BBC Brasil, BBC

21 de dezembro de 2012 | 07h54

A polícia de choque foi chamada para proteger um supermercado de Bariloche, no sul da Argentina, após dezenas de pessoas invadirem o local para promover saques na quinta-feira.

Muitas pessoas eram vistas saindo com carrinhos carregados com equipamentos eletrônicos, roupas e brinquedos.

Outras duas lojas da região também foram saqueadas. A multidão só foi dispersada com jatos de água e gás lacrimogêneo.

A cidade de Bariloche é um movimentado destino turístico, que atrai milhares de pessoas todos os anos, incluindo muitos brasileiros.

Os problemas econômicos da Argentina vêm se acumulando nos últimos meses, com uma alta do desemprego e uma inflação não oficial de 25% (os números do governo ainda indicam menos de 10% de inflação).

O governo acusou gangues criminosas e grupos anarquistas pelos ataques.

O governador da Província de Rio Negro, onde fica Bariloche, afirmou que os saques tinham motivação política.

"Com esse tipo de ação, esses grupos vêm tentando pintar um quadro falso de colapso social e político", afirmou Alberto Weretilneck em um comunicado.

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.