Londres colaborou com ataques de drones, diz Snowden

Segundo fundador do WikiLeaks, inteligência britânica ajudou nos bombardeios no Iêmen e no Paquistão

O Estado de S. Paulo

24 de junho de 2015 | 19h52

LONDRES - Documentos fornecidos pelo ex-colaborador da Agência de Segurança Nacional americana (NSA, na sigla em inglês) Edward Snowden revelaram a colaboração da inteligência britânica nos ataques americanos com drones em 2012 no Iêmen e no Paquistão. Os documentos foram entregues por Snowden, que vive exilado na Rússia, aos jornais britânico Guardian e americano New York Times

Segundo o NYT, ataques de drones da Grã-Bretanha apenas foram conduzidos em zonas de guerra no Afeganistão, no Iraque e na Líbia. No entanto, os jornais sugeriram que a inteligência britânica teria fornecido informação importante aos EUA antes de seus ataques com drones realizados fora de uma zona de guerra reconhecida. 

As reportagens apontaram que havia uma estreita cooperação entre a NSA e o Quartel-General de Comunicações do Governo britânico, conhecido como GCHQ. 

As autoridades americanas não quiseram comentar a denúncia. O GCHO, por sua vez, se manifestou por meio de um comunicado. 

“Esperamos que todos os Estados se preocupem em agir em conformidade com a lei internacional e tomem todas as precauções possíveis para evitar mortes de civis ao conduzir qualquer forma de operação militar ou de contraterrorismo.” / AP

Tudo o que sabemos sobre:
SnowdendronesGrã-BretanhaEUa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.