Londres investiga paradeiro de corpo de britânico seqüestrado

O Ministério britânico de Exteriores confirmou neste sábado que investigará se o corpo de um inglês, seqüestrado e decapitado no Iraque em 2004, está enterrado perto da cidade iraquiana de Faluja, como assegura o advogado de um dos supostos autores do crime. Osman Karahan, representante legal do suposto militante da Al-Qaeda Loai Mohammed Haj Bakr al-Saqa, acusado de ter ordenado a execução de Ken Bigley, informou sobre o paradeiro do corpo do inglês em entrevista coletiva dada neste sábado, na Turquia. "Desde o assassinato de Ken Bigley fazemos o possível para estabelecer as circunstâncias de sua morte e levar os responsáveis à Justiça", afirmou o porta-voz do ministério. Bigley, de 62 anos e nascido em Liverpool, norte da Inglaterra, foi seqüestrado em 16 de setembro de 2004 em Bagdá, onde trabalhava como engenheiro. Ele foi decapitado três semanas depois.

Agencia Estado,

22 Abril 2006 | 13h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.