Londres investiga paradeiro de corpo de britânico seqüestrado

O Ministério britânico de Exteriores confirmou neste sábado que investigará se o corpo de um inglês, seqüestrado e decapitado no Iraque em 2004, está enterrado perto da cidade iraquiana de Faluja, como assegura o advogado de um dos supostos autores do crime. Osman Karahan, representante legal do suposto militante da Al-Qaeda Loai Mohammed Haj Bakr al-Saqa, acusado de ter ordenado a execução de Ken Bigley, informou sobre o paradeiro do corpo do inglês em entrevista coletiva dada neste sábado, na Turquia. "Desde o assassinato de Ken Bigley fazemos o possível para estabelecer as circunstâncias de sua morte e levar os responsáveis à Justiça", afirmou o porta-voz do ministério. Bigley, de 62 anos e nascido em Liverpool, norte da Inglaterra, foi seqüestrado em 16 de setembro de 2004 em Bagdá, onde trabalhava como engenheiro. Ele foi decapitado três semanas depois.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.