Londres pede libertação de 5 detidos em Guantánamo

Solicitação expõe distanciamento do premiê Brown em relação a Bush e envolve cinco residentes da Grã-Bretanha presos na base militar

The Guardian, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2008 | 00h00

A Grã-Bretanha pediu ontem aos EUA a libertação de cinco residentes britânicos presos na base militar americana de Guantánamo, em mais um sinal de distanciamento do novo premiê britânico, Gordon Brown, em relação ao governo de George W. Bush.Em carta enviada à secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice, o chanceler britânico, David Miliband, pediu a libertação do saudita Shaker Amer, do jordaniano Jamil el-Banna, do líbio Omar Deghayes, do etíope Binyam Mohamed e do argelino Abdennour Sameur. Os cinco tinham status de refugiados ou vistos especiais de permanência.Antes da posse de Brown, em junho, o então premiê Tony Blair só havia pedido a libertação de cidadãos britânicos, evitando entrar em confronto com Bush. Em março de 2004, cinco britânicos presos em Guantánamo foram libertados e, em janeiro de 2005, outros quatro deixaram a prisão militar. Ao chegarem à Grã-Bretanha, todos foram interrogados e depois liberados pela polícia.Autoridades britânicas disseram em outubro de 2006 que a lei internacional não permitia que Londres interviesse por presos que não eram cidadãos britânicos. A única exceção foi o caso do iraquiano Bisher al-Rawi, libertado em abril, após o governo descobrir que ele já havia colaborado com o MI5, serviço de inteligência interna.A chancelaria britânica não deixou claro se os cinco seriam presos ou libertados ao desembarcar no país. Segundo as autoridades, todas as medidas de segurança serão tomadas.''''Isso é uma grande mudança na posição do governo britânico'''', comemorou Moazzam Beeg, um dos presos libertados em 2005. O partido de oposição Liberal também elogiou o pedido do governo. ''''Esse é um reconhecimento atrasado de nosso dever moral. Até agora a atitude do governo foi de submissão frente à violação sistemática dos princípios legais'''', acusou o líder do partido, Menzies Campbell. OS CINCO PRESOSJamil el-Banna: Jordaniano, foi preso em Gâmbia com com o iraquiano Bisher al-Rawi, libertado em 2005Shaker Amer: Saudita, foi preso no Paquistão em 2002Omar Deghayes: Nascido na Líbia, foi capturado no Paquistão com Amer. Deghayes chegou à Grã-Bretanha em 1986, após seu pai ser morto pelo regime líbioBinyam Mohamed: Etíope. Ficou detido no Marrocos durante 18 meses, após ser preso em 2002 no PaquistãoAbdennour Sameur: Argelino. Não há informações claras sobre sua prisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.