Londres reforça segurança para reunião do G-20

O governo britânico reforçou a segurança na cidade de Londres com milhares de policiais, na preparação para o encontro desta semana do G-20. Teme-se que terroristas possam aproveitar a presença de dezenas de milhares de pessoas durante protestos para lançar um ataque. O aumento das possíveis ameaças ocorre quando a Grã-Bretanha já está em nível de alerta "severo", o que significa que os funcionários do setor de segurança acreditam que um ataque é bastante provável.

AE-AP, Agencia Estado

30 de março de 2009 | 13h57

A preocupação é particularmente alta pois no último importante encontro na Grã-Bretanha, o encontro do G-8 em julho de 2005, ocorreram os ataques suicidas no sistema de transporte londrino, que mataram 52 pessoas. O custo da operação de segurança para o encontro é de US$ 10 milhões. Dezenas de milhares de manifestantes planejam quatro dias de protestos em vários pontos de Londres, o que poderia deixar a capital mais vulnerável. A secretária de Interior britânica, Jacqui Smith, disse que, apesar de não se saber sobre um plano específico, os terroristas poderiam atacar "sem qualquer aviso a qualquer hora".

Tudo o que sabemos sobre:
Grã-BretanhaG-20segurança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.