Londres revela discurso da rainha para anunciar 3ª Guerra Mundial

Documentos do arquivo do governo britânico mostram que, em 1983, um discurso foi preparado para ser lido no caso de uma guerra nuclear

01 de agosto de 2013 | 21h16

Em documento secreto revelado ontem pelo governo britânico, a rainha Elizabeth II pediria ao país que se mantivesse firme em meio à guerra nuclear. O discurso fictício foi  preparado  em 1983 e seria lido caso ocorresse um ataque soviético.

Segundo o documento, com a Grã-Bretanha à beira da aniquilação, a rainha diria aos britânicos que os perigos eram "de longe maiores do que em qualquer outro momento da história".

"Enquanto lutamos juntos para combater o novo mal, vamos rezar por nosso país e pelos homens de boa vontade, onde quer que estejam", diz o texto. "Que Deus abençoe a todos."

Felizmente, a rainha nunca precisou ler o discurso e acredita-se que ela nunca mais tenha visto o texto, escrito por funcionários do governo no auge da Guerra Fria como parte de um exercício desenvolvido para enfrentar um ataque nuclear.

Detalhes do exercício estavam na última fila de documentos oficiais a serem divulgados pelo Arquivo Nacional britânico. Embora fosse apenas uma simulação, o texto do discurso evoca os temores da 3ª Guerra Mundial. 

"Agora, essa loucura da guerra se espalha mais uma vez pelo mundo e nosso bravo país precisa se preparar novamente para sobreviver a todas as adversidades", diz o texto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.