Londrinos tentaram deter agressores em Borough Market com o que tinham à mão

Os terroristas mataram ao menos sete pessoas e feriram quase 50, antes de serem mortos a tiros pela polícia

O Estado de S. Paulo

04 de junho de 2017 | 19h35

LONDRES - Quando três homens armados com uma van e facas realizaram o ataque em uma área movimentada da capital britânica no sábado à noite, os londrinos lutaram com o que encontraram à mão, em alguns casos lançando cadeiras e mesas para afastá-los.

Os atacantes mataram ao menos sete pessoas e feriram quase 50, antes de serem mortos a tiros pela polícia. O ataque começou com uma van sendo conduzida em alta velocidade em direção a uma multidão de pedestres na London Bridge.

"Parecia que ele estava apontando para grupos de pessoas", disse à Reuters Mark Roberts, um consultor de gerenciamento de 53 anos. Ele viu ao menos seis pessoas no chão depois que a van entrou e saiu da calçada. "Foi horrendo."

O taxista Chris estava na Ponte de Londres quando os autores do atentado atropelaram os transeuntes com sua van branca. "Vi como esfaqueavam uma menina no peito", disse à rádio LBC. "Disse ao passageiro que estava no meu táxi que ia tentar atingir" um dos agressores. "Ia tentar atropelá-lo. Girei e tentei, mas ele escapou", acrescentou.

Depois disso, os agressores que portavam facas foram para o mercado público próximo, o Borough Market, onde os sobreviventes descreveram uma cena infernal em uma área cheia de pessoas curtindo a noite em bares e restaurantes.

Gerard Vowles, de 47 anos, disse à Sky TV que estava na rua perto do bar Southwark Tavern, o cenário de múltiplos esfaqueamentos, quando ouviu alguém dizer: "Eu fui esfaqueado, fui esfaqueado". "Eu pensei que eles estivessem brincando", disse.

Vowles disse ter visto então uma mulher e um homem serem esfaqueados enquanto os terroristas gritavam: "Isto é para Allah", e lembrou como ele tentou distrair os homens. "Enquanto eles saíam, eu dizia "Ei, ei, covardes!", disse Vowles. "Eu estava apenas tentando chamar a atenção deles, lançando coisas neles... Eu pensei que se eu jogasse garrafas ou cadeiras, eles poderiam vir atrás de mim. Se eu puder levá-los à rua principal, então a polícia pode detê-los, eles obviamente podem atirar neles."

Outras testemunhas relataram ter visto um homem com uma lâmina grande, semelhante a uma faca de cozinha e vítimas sangrando. Eles disseram que as pessoas estavam fugindo da área em pânico.

Uma testemunha, que apenas deu à BBC seu primeiro nome, Ben, disse que viu um homem vestido de vermelho esfaqueando um homem com uma lâmina que parecia ter cerca de 25 centímetros de comprimento.

"Ele estava sendo esfaqueado friamente e caiu no chão", disse ele sobre a vítima. O atacante então caminhou em direção a Southwark Tavern, onde uma cadeira foi lançada contra ele, pouco antes de começarem os disparos. 

Florin, um trabalhador romeno de uma padaria da região, divulgou um vídeo em que aparece armado com um pedaço de pau indo de um lado a outro em Borough Market, gritando insultos e contando a seus colegas que jogou uma cesta na cabeça de um dos agressores, deixando-o aturdido.

Um taxista, Aksha Patel, disse à Sky News que uma passageira lhe contou que bloqueou com o próprio corpo a porta do restaurante Black and Blue para impedir a entrada de um agressor, durante tempo suficiente para permitir que as pessoas saíssem pela porta de trás, até que finalmente teve que sair correndo.

"As pessoas conseguiram escapar, ela salvou umas 20 vidas", disse o taxista.

Honesto foi o gesto de Richard Angell, que voltou neste domingo para pagar a conta e deixar gorjeta no restaurante do qual saiu correndo.

"Tinha que pagar a conta", contou ao Buzzfeed News. "Cuidaram de nós quando tinham que estar cuidando de si próprios".

Eficácia policial. Lewis Bennet, de 39 anos, narrou ao The Guardian a eficácia da polícia ao acabar com um dos agressores no pub em que ele estava. Em apenas oito minutos desde que receberam o primeiro aviso, os agentes perseguiram e mataram os três autores do atentado.

"No início o agressor não fez nada, ficou ali em pé durante uns 10 segundos", disse Bennet.

"Mas então pegou a faca e começou a esfaquear as pessoas que estavam perto dele, no estômago e nas pernas", acrescentou. "Gritava 'Alá é grande', 'Alá é grande', tinha sotaque britânico".

Dois policiais entraram pela porta dos fundos. O agressor se lançou sobre um dos dois, mas seu companheiro se ajoelhou e disparou dois tiros, matando-o. "Morreu ali, no chão do pub", lembrou. / AFP e Reuters

Tudo o que sabemos sobre:
BBC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.