Ulises Ruiz / AFP
Ulises Ruiz / AFP

López Obrador anuncia cancelamento de projeto bilionário de aeroporto mexicano

Presidente eleito, que assumirá em 1º de dezembro, afirmou que com mandato obtido dos cidadãos ampliará aeroporto militar de Santa Lucía, reformará o atual terminal na capital e reativará pista em Toluca ao invés de concluir projeto de US$ 13 bilhões

O Estado de S.Paulo

29 de outubro de 2018 | 17h15

CIDADE DE MÉXICO - O presidente eleito do México, Andrés Manuel López Obrador, anunciou nesta segunda-feira, 29 o cancelamento do projeto de construção do ambicioso aeroporto de Texcoco, após uma polêmica consulta na qual a população optou pelo projeto mais econômico do político de esquerda, denominado Santa Lucía, que obteve 69,95% dos votos.

"A decisão é obter o mandato dos cidadãos, de modo que serão construídas duas pistas no aeroporto militar de Santa Lucía, o atual aeroporto da Cidade do México será melhorada e o aeroporto de Toluca será reativado", disse AMLO em coletiva de imprensa. 

López Obrador, que assume o poder no próximo 1 de dezembro, disse que buscará que os construtores do aeroporto que está em obras em Texcoco continuem seus trabalhos em Santa Lucía ou que se alcance um acordo para dar fim à construção.

"Há a possibilidade de que sigam com os contratos, fazendo a obra em Santa Lucía, o mesmo volume de obras, ou chegar a acordos. Em todo caso, vamos agir dentro da legalidade", afirmou.

Em uma polêmica consulta cidadã convocada por López Obrador, a construção do ambicioso aeroporto de Texcoco, de cerca de 13 bilhões de dólares, que atende a Cidade do México foi derrotada pela expansão da base militar de Santa Lúcia, projeto que o presidente eleito prometeu ser mais econômico. 

Essas opções visam resolver o problema de saturação do atual aeroporto da Cidade do México, por onde passaram 44 milhões de passageiros no ano passado.

A consulta popular, promessa de campanha do político de esquerda que venceu em julho a eleição presidencial foi realizada de quinta a domingo, mas não respeitou o quadro jurídico dessas consultas e foram registradas irregularidades, como votos múltiplos de uma pessoa. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.