Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Mario Guzman/EFE
Mario Guzman/EFE

López Obrador quer rifar avião presidencial do México

Presidente do país, que se recusa a viajar na aeronave, diz que ‘tíquete’ custaria US$ 25

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de janeiro de 2020 | 17h58

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, encontrou um jeito diferente de se livrar do luxuoso avião presidencial que ele se recusa a usar desde quando assumiu seu mandato de seis anos, em 2018. O mexicano quer rifar a aeronave com seis milhões de tíquetes, a um custo de 500 pesos (cerca US$ 25 dólares) cada um.

O sorteio é uma das cinco opções que o governo avalia para repassar o avião oficial, que era usado pelo ex-presidente Enrique Peña Nieto e que, para a esquerda, representa um “símbolo de excesso”. “Estamos falando de opções, estou transmitindo informações, as pessoas vão decidir o que é melhor”, disse Lopez Obrador, em sua habitual conferência matinal.

A tentativa inusitada de vender avião em uma rifa vem depois do anúncio do governo mexicano de que a aeronave de luxo, que tem um custo estimado hoje de US$ 130 milhões, retornará ao país, após passar uma temporada de mais de um ano nos Estados Unidos, onde Obrador tentava repassá-lo para um comprador abonado.

O Boeing Dreamliner 787-8 foi comprado por cerca de US$ 218 milhões durante o governo do presidente Felipe Calderón (2006-2012), mas foi entregue e usado por sua sucessora, Peña Nieto (2012-2018). “Seriam seis milhões de números, de pedacinhos, a 500 pesos. Aquele que ganhasse (a rifa) receberia um ou dois anos de serviço de operação”, disse Obrador. O sorteio seria realizado pela Loteria Nacional.

A ideia não pareceu uma surpresa só para os mexicanos. Gente do governo também estranhou. O secretário de Comunicações, Javier Jiménez Espriú, parecia não estar ciente da proposta do presidente e a considerou inviável. “Não, não será sorteado, como será sorteado? Será leiloado, um sorteio é um ingresso e você ganha, não é isso”, disse Jiménez Espriú ao chegar ao Estado mexicano de Oaxaca, de acordo com o jornal Reforma.

Mais opções

Obrador disse que o avião presidencial já foi oferecido ao governo de seu colega americano Donald Trump, com a possibilidade de que o país vizinho pagasse pela aeronave com equipamentos médicos. Essa opção até agora não vingou.

Ele também revelou que seu governo recebeu uma oferta para vender a aeronave por US$ 125 milhões de uma pessoa nos Estados Unidos que ele não disse quem é. O negócio ainda não foi fechado. As outras duas opções seriam alugar o avião ou vendê-lo para 12 empresários mexicanos, incluindo o magnata Carlos Slim. O presidente garantiu que os recursos obtidos com a venda do avião serão utilizados na compra de equipamentos médicos para o sistema público de saúde.

Desde que começou a circular, o avião presidencial mexicano realizou pouco mais de 2oo viagens. A aeronave tem 57 metros de comprimento e capacidade máxima para 80 passageiros. Hoje, o presidente mexicano viaja em voos comerciais regulares.

Na mesma época em que anunciou a venda do “José María Morelos e Pavón”, como ele foi batizado, Obrador disse que colocaria à venda outros 60 aviões e 70 helicópteros que pertencem ao governo federal. /AFP

Tudo o que sabemos sobre:
Andrés Manuel López Obrador

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.