Lourdes alia-se a velhos militantes da direita cristã

A candidata da aliança direitista Unidade Nacional, a advogada Lourdes Flores, lidera um conglomerado eleitoral para o qual convergem membros da Opus Dei e economistas ortodoxos neoliberais e veteranos políticos da direita cristã peruana. Estreou na política em 1987, opondo-se à fracassada estatização do sistema bancário empreendida pelo então presidente Alan García.Foi deputada por dez anos consecutivos, quando fez oposição moderada à administração de Alberto Fujimori e angariou a imagem de política incorruptível. No fim de 1999, figurou numa lista da revista americana Time e da rede de TV CNN como uma das revelações entre as jovens líderes latino-americanas para o novo milênio.Mas se a imagem de honestidade joga a seu favor na eleição, o fato de ser mulher e solteira pode pesar contra ela. Na última semana, Lourdes denunciou a existência de uma campanha para desmoralizá-la. Segundo ela, tablóides sensacionalistas que já estiveram a serviços das campanhas de difamação lideradas por Vladimiro Montesinos estavam prontos para publicar reportagens apontando-a como lésbica. As reportagens acabaram não saindo, mas a simples menção dessa versão pode custar votos preciosos para a candidata.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.