Lugo apela à Corte Suprema contra impeachment

O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, que pode perder quase um ano de seu mandato em um processo de impeachment iniciado ontem, apresentou hoje um apelo à Corte Suprema do país, dizendo que a iniciativa é inconstitucional.

AE, Agência Estado

22 de junho de 2012 | 12h07

O processo, que teve início após a Câmara dos Deputados aprovar a proposta de impeachment por 76 votos a favor e 1 contra, "não respeita os devidos trâmites", segundo o advogado de Lugo, Adolfo Ferreiro.

Miguel Lopez, secretário-geral da presidência, havia indicado mais cedo que Lugo, um ex-bispo católico, buscava "obter mais tempo para preparar sua defesa".

Lugo deverá apresentar sua defesa às 13h00 (horário de Brasília) no Senado, onde conta com o apoio de apenas cinco dos 45 legisladores. Os senadores prometem anunciar uma decisão final às 17h30.

A votação surpresa de ontem foi pela "fraca atuação" de Lugo no violento episódio do dia 15, quando camponeses sem-terra entraram em choque com a polícia em Curuguaty, deixando um saldo de 17 mortes.

Abandonado pelos aliados políticos, o presidente esquerdista acusa seus oponentes de tentarem "roubar a decisão suprema das pessoas" que em 2008 o elegeram para um mandato de cinco anos, pondo fim a seis décadas de domínio político do partido Colorado, de direita.

Em meio à gravidade da crise, os países vizinhos da América do Sul decidiram despachar uma missão de chanceleres ao Paraguai para defender Lugo.

Lugo, que já foi conhecido como "bispo dos pobres", esteve recentemente em tratamento por causa de um câncer linfático e declarou que não buscará um novo mandato na eleição marcada para abril de 2013. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
PARAGUAILUGOAPELO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.