Jorge Adorno/Reuters
Jorge Adorno/Reuters

Lugo rechaça sanções econômicas do Mercosul contra Paraguai

Para o ex-presidente, os 'mais esquecidos' do país seriam prejudicados

Efe,

27 de junho de 2012 | 18h15

ASSUNÇÃO - O ex-presidente paraguaio Fernando Lugo, alvo de impeachment na sexta-feira passada após um polêmico julgamento político, afirmou nesta quarta-feira, 27, em entrevista à agência Efe que rejeita a ideia de sanções econômicas do Mercosul contra o Paraguai.

Veja também:

link Fernando Lugo pode ser candidato ao Senado paraguaio

link Crise no Paraguai expõe conflito entre sem-terra e brasiguaios

"Nesta manhã, tive uma reunião com um grupo de camponeses que vendem pinhas e mandiocas na região. Eu não gostaria que os mais esquecidos, os que privilegiamos em nosso governo, fossem também prejudicados com uma sanção econômica", declarou Lugo.

No entanto, o ex-governante pediu que a comunidade internacional "chame a atenção" da classe política paraguaia. Brasil, Argentina e Uruguai se reunirão nesta sexta-feira, 29, em Mendoza (Argentina), por ocasião da Cúpula do Mercosul, para analisar a crise política no Paraguai, que não pôde comparecer ao encontro por ter sido suspenso do bloco devido aos últimos eventos.

Também em Mendoza e no mesmo dia, será realizada paralelamente uma cúpula extraordinária da União de Nações Sul-americanas (Unasul) para tratar do caso do Paraguai.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.