Lula afirma que democracia paraguaia foi desrespeitada

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva avaliou nesta segunda que a democracia no Paraguai foi desrespeitada e que agora é preciso aguardar uma decisão da Unasul e do Mercosul sobre as sanções que o país poderá sofrer após o processo de impeachment do presidente Fernando Lugo. "Enquanto cidadão brasileiro, acho que a democracia do Paraguai foi ferida apesar de os senadores e deputados afirmarem que cumpriram a constituição, mas não deram tempo sequer para o presidente se defender", comentou Lula após evento em que o PCdoB referendou seu apoio à pré-candidatura do petista Fernando Haddad à Prefeitura de São Paulo. "Nunca vi um julgamento sumário em que em 24 horas depuseram um presidente que levou 60 anos para ser eleito", emendou o ex-presidente brasileiro.

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

25 de junho de 2012 | 20h23

Para o ex-presidente Lula, a democracia paraguaia foi desrespeitada. "Não adianta eu achar que foi um golpe porque eles dizem que não foi. Acho que, na avaliação da maioria dos presidentes da América Latina, a democracia foi desrespeitada porque não deram ao Lugo total direito de defesa", analisou.

Durante o ato político do PCdoB, o presidente nacional da sigla, Renato Rabelo, disse que as forças oligárquicas nunca abrem mão do poder em favor das forças progressistas, que segundo ele, hoje tomam conta da América Latina. "A liberdade política é sagrada", defendeu. Rabelo citou o exemplo da crise ocorrida em 2005 no Brasil em decorrência do escândalo do mensalão. "Nós tivemos isso aqui em 2005", declarou. Rabelo ainda elogiou a postura do ex-presidente Lula no episódio. "A atitude do presidente Lula foi exemplar e corajosa", afirmou. De acordo com ele, os países precisam se solidarizar com o Paraguai. "Nós não podemos ficar passivos diante de uma situação dessa."

Mais conteúdo sobre:
LugoimpeachmentLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.