Lula apóia iniciativa informal pela paz no Oriente Médio

Momentos antes de embarcar com destino a Damasco, na Síria, dando início a uma visita oficial a cinco países árabes, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva manifestou apoio à iniciativa de setores da sociedade civil de Israel e da Palestina em prol da paz no Oriente Médio. Um plano de paz, batizado de Iniciativa de Genebra, foi concebido por figuras representativas da sociedade israelense e palestina, à margem das negociações oficiais entre os governos. Israel já repudiou a proposta, e as autoridades palestinas também não demonstram entusiasmo.Em Recife, onde trocou o Boeing 737 ("Sucatinha"), que o levou à capital pernambucana, pelo Boeing 707 presidencial ("Sucatão"), Lula divulgou nota afirmando que "somente pela via da negociação e do diálogo se poderá alcançar uma paz duradoura". Esta é íntegra da nota, distribuída pelo Ministério das Relações Exteriores: "O Brasil apóia a iniciativa organizada por setores expressivos da sociedade civil de Israel e da Palestina para a paz no Oriente Médio. A proposta representa um passo positivo e inspirador para a região. Nutrimos a esperança de que Israel e a Palestina trabalhem conjuntamente em favor de uma solução pacífica do conflito, por meio de concessões recíprocas. Somente pela via da negociação e do diálogo se poderá alcançar uma paz duradoura".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.