Lula condiciona relação com Honduras à volta de Zelaya

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva condenou o golpe de estado em Honduras que derrubou o presidente José Manuel Zelaya. "Nós não podemos aceitar ou reconhecer qualquer novo governo que não seja o presidente do Zelaya, porque ele foi eleito diretamente pelo voto, cumprindo as regras da democracia", afirmou, durante o programa de rádio "Café com o Presidente", transmitido todas as segundas-feiras. Segundo o presidente brasileiro, a retomada da presidência por Zelaya é a única condição para que a relação entre o Brasil e Honduras seja retomada, informou a Radiobrás.

AE, Agencia Estado

29 de junho de 2009 | 08h10

"Nós não podemos aceitar mais, na América Latina, alguém querer resolver o seu problema de poder pela via do golpe, porque nós não podemos aceitar que alguém veja alguma saída para o seu país fora da democracia, fora da eleição livre e direta", afirmou o presidente. Lula disse já ter conversado com presidentes de outros países, como El Salvador, Paraguai e Chile, que também criticaram o golpe.

Tudo o que sabemos sobre:
HondurasgolpeLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.