Lula conversa com Cristina e Chávez sobre Bolívia

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva telefonou hoje para os presidentes da Argentina, Cristina Kirchner, e da Venezuela, Hugo Chávez, para discutir uma forma de ajudar a Bolívia a resolver a crise político-institucional que enfrenta há alguns dias. Os três presidentes chegaram a discutir a possibilidade de uma reunião entre os chanceleres dos países vizinhos. A intenção do presidente Lula é estimular o diálogo com o argumento de que o radicalismo não leva a lugar nenhum. Lula tem ressaltado nas conversas com os presidentes da América Latina que o governo brasileiro está a disposição para ajudar a Bolívia a enfrentar a situação de crise. Em conversa por telefone ainda durante a manhã, pouco antes do almoço, o presidente da Bolívia, Evo Morales, ponderou que tal providência poderia ser tomada daqui a algum tempo e que espera resolver os problemas nos próximos dias. Segundo informações obtidas no Palácio do Planalto, o presidente Lula considera grave e preocupante a situação na Bolívia. As informações que chegaram ao Palácio do Planalto são de que as ações dos manifestantes são violentas, com explosões e danos a equipamentos. Além da apreensão em relação aos problemas no abastecimento do gás ao Brasil, o governo brasileiro tem demonstrado preocupação com a normalidade democrática. Informações do Palácio do Planalto ressaltam que o governo Evo Morales foi constituído democraticamente, eleito e ratificado por 70% dos eleitores. O Brasil, conforme a fonte, não admite que a democracia seja desrespeitada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.