Lula diz que viu só 'conflito verbal' de Chávez e Uribe

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que o tempo "é de paz, não de guerra", ao comentar as tensões na América do Sul entre Colômbia e Venezuela. "Pretendo conversar muito com o Chávez (Hugo Chávez, presidente venezuelano), muito com o Santos (Juan Manuel Santos, presidente eleito da Colômbia). Eu acho que o tempo é de paz, e não de guerra", disse Lula, após receber o presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, no Palácio do Itamaraty.

RAFAEL MORAES MOURA, Agência Estado

28 de julho de 2010 | 17h04

"Ainda não vi conflito. Eu vi conflito verbal, que é o que nós ouvimos mais aqui nessa América Latina", afirmou Lula. Lula disse que no dia 6 de agosto participa de reunião bilateral com Hugo Chávez e que depois segue para a Colômbia, onde pretende acompanhar a posse de Santos e conversar tanto com ele quanto com o atual presidente colombiano, Álvaro Uribe. "Temos de restabelecer a normalidade nas relações entre Venezuela e Colômbia, porque são dois países importantes para nós da América do Sul, são duas grandes economias, são dois países que têm grandes fronteiras".

O presidente da Nicarágua também defendeu o diálogo entre Colômbia e Venezuela para a resolução das tensões entre os dois países. Para Ortega, os regimes de Hugo Chávez e Álvaro Uribe são "irmãos" e podem chegar a uma solução pacífica. "Estamos convencidos de que, pela complexidade que se apresenta, há condição de buscar a paz e a estabilidade entre povos irmãos como a Venezuela e a Colômbia", disse, em discurso no Palácio do Itamaraty.

Tensão

O chanceler venezuelano Nicolás Maduro discutiu na anteontem com o Brasil um plano de paz para a resolução da crise instalada entre Venezuela e Colômbia. Maduro encontrou-se em Brasília com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o secretário-geral do Itamaraty, Antônio Patriota, dando início a um rápido giro pelos países vizinhos, com o intuito de discutir um plano de paz que deve ser apresentado amanhã, na reunião da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), em Quito.

"Como todos sabem, o nosso governo é de paz, com vocação sul-americanista, latino-americanista", disse Maduro, após sair da reunião no Centro Cultural Banco do Brasil, sede provisória do governo. "O presidente Chávez é um combatente pela união e integração (sul-americana)."

Chávez rompeu as relações diplomáticas da Venezuela com a Colômbia depois que o embaixador colombiano na Organização de Estados Americanos (OEA) apresentou denúncia sobre a presença de guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em território venezuelano. A tensão entre vizinhos aumenta às vésperas da posse de Juan Manuel Santos, que assumirá o governo da Colômbia no próximo dia 7, sucedendo ao atual presidente, Álvaro Uribe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.