Lula ficou 'emocionado' ao saber de Sakineh, diz Garcia

Assessor do presidente diz que libertação de iraniana 'é vitória dos direitos humanos'

Tânia Monteiro, da Agência Estado

09 de dezembro de 2010 | 19h06

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva se emocionou ao ser informado, pelo seu assessor especial Marco Aurélio Garcia, que a iraniana Sakineh Mohamadi Ashtiani foi libertada, conforme informações do Comitê Internacional contra Execuções.

 

Veja também:

mais imagens Fotos de Sakineh em liberdade

especialAs punições da Sharia, a Lei Islâmica

documento As origens do sistema jurídico do Islã

especialEntenda o caso Sakineh Ashtiani

 

"O presidente ficou muito, mas muito satisfeito e emocionado", disse Garcia nesta quinta-feira, 9, ao comentar a "felicidade" de Lula ao receber a notícia sobre a iraniana condenada à morte por adultério e cumplicidade na morte do marido.

 

Questionado se o presidente Lula considerava a libertação de Sakineh uma vitória de seu governo, Garcia afirmou se tratar de "um ato de justiça". "É uma vitória dos direitos humanos em geral e confirma que há formas eficientes de vender os direitos humanos que não precisam ser ruidosas", disse.

 

Essa afirmação de Marco Aurélio responde às criticas de que o governo era complacente com governos ditatoriais. "Não é momento para polemizar com críticas à política externa brasileira. O momento é de comemorar a decisão", observou Garcia, que disse não haver nenhuma previsão de Lula telefonar para o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, para cumprimentá-lo pela libertação.

 

Saiba mais:

linkIrã também liberta blogueiro

 

"A notícia ainda não é 100% confirmada", observou o assessor, referindo-se ao fato de a liberação da iraniana ter sido noticiada por organizações não-governamentais (ONGs) e não, ainda, pelo governo do Irã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.