Dai Kurokawa/Efe
Dai Kurokawa/Efe

Lula pede ao mundo que combata crise de fome na África

Em comunicado divulgado pela União Africana, ex-presidente diz que missão 'é responsabilidade de todos'

Efe

28 de setembro de 2011 | 10h11

 

ADIS-ABEBA - O ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva pediu à comunidade internacional que ajude "os irmãos do Chifre da África a evitar a fome, as doenças e a morte" causadas pela pior seca na região nas últimas seis décadas.

 

Veja também:

especialCAMPANHA: Saiba como ajudar

video VÍDEO: O relato de Jamil Chade

mais imagens GALERIA: Combinação mortífera

 

Em comunicado distribuído nesta quarta-feira, 28, pela União Africana (UA), Lula fez um pedido a "membros, governos, entidades e todas as pessoas dignas" que cooperem para aliviar a situação humanitária grave a qual estão submetidas mais de 13 milhões de pessoas no Chifre da África.

 

"A prioridade é no combate a fome, a extrema pobreza e ajudar às comunidades a encontrarem soluções. Esta missão deve ser responsabilidade de todo o mundo", disse o ex-presidente brasileiro, que acrescentou ser preciso achar uma maneira de "evitar este tipo de tragédias no futuro".

 

"A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) estima que faltam US$ 2,5 bilhões" para combater a crise de fome, dos quais só foi arrecadado a metade, lembrou Lula que fez este apelo a pedido de Jean Ping, presidente da Comissão da União Africana, com sede na capital etíope.

 

Ping reiterou seu pedido aos membros da UA para que redobrem seus esforços para frear a crise humanitária na região, principalmente na Somália, onde a ONU declarou seis províncias em estado de crise, situação agravada pelo conflito armado na região desde 1991.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.