Lula pede que Bush tome decisões políticas sobre Rodada de Doha

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu, nesta segunda-feira, a seu homólogo dos Estados Unidos, George W. Bush, que tome "decisões políticas, não importando quais sejam", para que as negociações da Rodada de Doha da Organização Mundial do Comércio (OMC) sejam realizadas com sucesso.Os governantes se reuniram durante 20 minutos em São Petersburgo, onde acontece a cúpula do Grupo dos Oito (G8), e dedicaram a maior parte do encontro ao comércio e às energias renováveis.Tanto Lula como Bush expressaram seu compromisso com o êxito das negociações."Estou convencido que agora é o momento em que precisamos tomar decisões políticas, não importando quais sejam", para conseguir esse êxito, afirmou o presidente brasileiro."Não podemos seguir deixando nas mãos de nossos negociadores. Eles fizeram um grande trabalho, mas tenho a impressão que já não lhes sobra mais ases na manga. Somos nós os que temos que tirar esses ases. Por isso é muito importante que o G8 aborde este assunto", disse Lula.O presidente americano ressaltou que "para que a rodada de Doha tenha êxito, EUA e Brasil têm de pôr em comum as suas estratégias".Os países do G5 (México, Brasil, Índia, África do Sul e China), que representam os países em desenvolvimento de todo o mundo, planejam pedir à cúpula do G8 a conclusão da Rodada de Doha antes do final do ano.O documento que será entregue pelo G5 hoje aos líderes do G8, que encerra seu encontro na Rússia, mostra a preocupação dos países em desenvolvimento pelas tendências de aumento ao protecionismo nas nações desenvolvidas.Na reunião inaugural do G8, os países-membros pediram ao diretor-geral da OMC, Pascal Lamy, que apresente rapidamente o resultado das consultas "com o objetivo de facilitar um acordo" na agricultura e na tarifas industriais.Durante a reunião de hoje, Bush e Lula debateram também a questão das energias renováveis.O presidente brasileiro conversou com o líder americano sobre a possibilidade de estabelecer uma aliança com os EUA "na questão de fontes renováveis de energia e combustível".Lula lembrou que o Brasil possui tecnologia de ponta neste terreno, onde "o programa de bio-diesel já é uma realidade".Além disso, o presidente brasileiro comentou com seu homólogo sobre "outra novidade, o H-bio, que é a mistura realizada diretamente nas refinarias de petróleo usando óleo vegetal e sementes"."É um convite, senhor Bush, a criar uma aliança de grande calibre", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.