Lula reitera ambição de resolver questão palestina

BRASÍLIA

Denise Chrispim Marin, O Estadao de S.Paulo

23 de março de 2010 | 00h00

Três dias depois de seu retorno do Oriente Médio, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou ontem que não vai recuar em seu objetivo de mediar o processo de paz entre Israel e a Autoridade Palestina (AP) nem em sua estratégia de dialogar com todos os atores que, em seu ponto de vista, estão envolvidos nesse conflito histórico. Entre eles, mencionou o Irã, a Síria e os grupos fundamentalistas islâmicos Hamas e Hezbollah.

Lula reiterou que o Brasil atua no vácuo da Organização das Nações Unidas (ONU), entidade que "não cumpre" seu papel de "resolver, definitivamente, os conflitos do Oriente Médio". O presidente ressaltou que nenhum país tem potencial para contribuir para a paz na região como o Brasil, por sua história pacífica e seu bom relacionamento com todos os países e facções envolvidas.

"Como eu acho que o Brasil pode conseguir (a paz na região), eu estou convencido que o Brasil não pode voltar atrás", afirmou, ao criticar os que avaliam que o País não deveria interferir nesta questão. "Nós precisamos conversar com iranianos, sírios, israelenses, palestinos, com o Hamas, com o Hezbollah. Com que tiver problema com conflito no Oriente Médio."ição de resolver questão palestina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.