Lula se diz "satisfeito" com terceira vitória de Chávez

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira que ficou "satisfeito" com a terceira vitória de Hugo Chávez na Venezuela, segundo o porta-voz do Palácio do Planalto, André Singer. "Ele (Lula) parecia estar contente pelo fato de o processo eleitoral ter transcorrido em ordem e paz", relatou Singer. "Foi mais um passo, na avaliação do presidente, para a consolidação da democracia na América do Sul."Na quarta-feira, Lula recebe Chávez em Brasília. Os dois jantarão na residência oficial da Granja do Torto. A visita foi uma idéia do próprio presidente venezuelano. Durante a campanha eleitoral, ele disse que a primeira viagem após a possível reeleição seria para o Brasil, numa demonstração de amizade e respeito pelo colega Lula.Desde que venceu a primeira eleição na Venezuela em 1998, o coronel Hugo Chávez mantém relação fraterna com o colega brasileiro. Não foram poucas as vezes, no entanto, que os interesses dos dois pareciam ser opostos. Em maio deste ano, Chávez foi acusado de estar por trás da decisão do presidente boliviano, Evo Morales, de nacionalizar as reservas de gás e querer expropriar bens da Petrobrás. O objetivo de Chávez seria minar a influência de Lula no continente e expandir os negócios da estatal Petróleos de Venezuela SA (PDVSA) na Bolívia. "Essa idéia foi comprada pela oligarquia brasileira que conspira e quer me fazer brigar com Lula", reclamou o presidente da Venezuela à época.Lula, por sua vez, sempre evitou comentar análises da imprensa internacional de que estaria sendo passado para trás na liderança do continente justamente por Chávez. No episódio da nacionalização do gás boliviano, o presidente brasileiro chegou a avaliar, em conversas reservadas, que o colega estava fazendo jogo duplo. Mas preferiu silenciar diante das câmeras. Chávez é uma espécie de "sapo" que o petista sempre aceitou engolir, segundo assessores do Planalto.Mas, no mês passado, Lula foi à Venezuela fazer campanha para Chávez. Os dois desfilaram em carro aberto por uma ponte inaugurada em Ciudad Guayana. Depois, Lula rasgou elogios ao colega venezuelano, destacando que ambos sofrem preconceitos das elites dos seus países. Lula chegou a comparar a imprensa brasileira à venezuelana, totalmente dominada pela oposição chavista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.