Lula: seria 'extraordinário' se EUA elegessem um negro

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou claro hoje que simpatiza com o candidato do Partido Democrata à presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmando que "seria extraordinário" se fosse eleito um candidato negro para a Casa Branca. "Não conheço bem o McCain (candidato republicano, John McCain) nem o Obama, mas - da mesma forma que o Brasil elegeu um metalúrgico, a Bolívia, um índio, a Venezuela, o (Hugo) Chávez, e o Paraguai, um bispo -, seria extraordinário a maior economia do mundo eleger um negro", afirmou Lula em discurso em Havana, Cuba. "Claro que o eleitor é soberano, e é o povo de lá que decide, mas, no mundo inteiro, há uma ponta de alegria, na mente silenciosa de cada um de nós, de ver um negro eleito presidente dos Estados Unidos", disse. O presidente brasileiro está em Cuba para participar da abertura de um escritório da Associação Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.