Luta entre tropas tailandesas e cambojanas prossegue

Tropas da Tailândia e do Camboja entraram novamente em choque pelo quarto dia consecutivo hoje, ao longo de um trecho disputado na fronteira entre os dois países asiáticos. O Camboja acusou a Tailândia de danificar templos antigos em combates que ocorreram no final de semana passado. Embora diplomatas da região tentem mediar o conflito, o primeiro-ministro da Tailândia pareceu descartar qualquer ajuda, ao dizer que os dois países envolvidos é que precisam resolver a crise.

AE, Agência Estado

25 de abril de 2011 | 20h33

Os combates mais pesados, com trocas de disparos de artilharia, aconteceram nas imediações do templo hinduísta de Preah Vihear, construído no século XI d.C. pela civilização Khmer e patrimônio mundial da Unesco. O coronel cambojano Suos Sothea disse que os dois exércitos trocaram disparos de artilharia. O porta-voz do exército tailandês, o coronel Sansern Kaewkamnerd, confirmou o relato. Ontem, pelo menos 12 soldados foram mortos e 30 mil pessoas fugiram no lado tailandês da fronteira, além de outras 17 mil que deixaram a região fronteiriça no Camboja.

Hoje, com a continuidade da violência, os Estados Unidos deram apoio aberto ao esforço da Indonésia para mediar a crise. A secretária de Estado americana, Hilary Clinton, disse que os EUA estão "profundamente preocupados" com os combates na fronteira entre os dois países. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.