ERNESTO BENAVIDES / AFP
ERNESTO BENAVIDES / AFP

 Machu Picchu é reaberto para turistas após oito meses interditado por Covid-19

Desde que foi inaugurado para o turismo em 1948, o parque arqueológico foi interditado apenas por dois meses, em 2010, quando uma inundação destruiu a ferrovia de Cusco

AFP, O Estado de S.Paulo

02 de novembro de 2020 | 02h58

O sítio arqueológico de Machu Picchu, no Peru, foi reaberto a turistas neste domingo, 1˚, após quase oito meses fechado por causa da epidemia de Covid-19. Sob uma garoa fina e luzes multicoloridas, um ritual inca foi realizado à noite para agradecer aos deuses pela reabertura do local, que normalmente só recebe visitantes durante o dia.

“Hoje Machu Picchu é reaberto. É reaberto com protocolos de segurança, responsabilidade e extrema cautela, porque estamos vendo tudo o que a pandemia está causando no mundo", disse Rocío Barros,  Ministro de Comércio Exterior e Turismo peruano, durante a cerimônia de reabertura. 

O primeiro trem com turistas e jornalistas chegou pela manhã em Machu Picchu Pueblo, a vila mais próxima da cidadela, após uma viagem de uma hora e meia às margens do rio Urubamba da antiga vila inca de Ollantaytambo. De acordo com os novos protocolos, apenas 675 turistas poderão entrar por dia, um terço disso antes da pandemia.

Após a reabertura, as esperanças renascem em Cuzco, a antiga capital do império Inca, e nas cidades do Vale Sagrado dos Incas, que são os principais pontos de encontro em direção a Machu Picchu e que enfrentam uma forte crise econômica em conseqüência da pandemia - cerca de 70% da população local sobrevive do turismo.

“Antes da chegada da pandemia, havia 80 hotéis e pequenos hotéis em Ollantaytambo, mas pelo menos metade deles faliram”, conta Joaquín Randall, presidente da Associação de Hotéis e Restaurantes da cidade, localizada a 32 km de distância do sítio arqueológico.

Machu Picchu é a jóia do turismo peruano e foi eleito em 2007 uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno em uma pesquisa online mundial. A mítica cidadela construída no século XV, que recebeu um milhão e meio de visitantes em 2019, colocou o Peru no mapa do turismo mundial em meados do século passado.

Desde que foi inaugurado para o turismo em 1948, Machu Picchu foi interditado apenas por dois meses, em 2010, quando uma inundação destruiu a ferrovia de Cuzco. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.