Maconha vendida pelo governo do Canadá é "intragável"

Alguns dos pacientes que começaram a fumar maconha vendida pelo governo do Canadá consideram o produto "intragável" e exigem de volta o dinheiro pago pela droga. O departamento de saúde canadense iniciou a venda de maconha em julho com o objetivo de diminuir as dores em pacientes com aids, câncer e outras enfermidades graves. A ação foi adotada depois que um tribunal determinou que não se pode obrigar os pacientes a adquirir os produtos com narcotraficantes.Mas alguns dos que compraram a maconha do governo disseram que o produto cultivado pelo governo é de baixa qualidade. "É totalmente inapropriada para o consumo humano", disse Jim Wakeford, de 58 anos, doente de aids. Wakeford e Barrie Dalley, de 52 anos, que usa maconha para combater as náuseas provocadas por medicamentos contra a aids, decidiram voltar a comprar ilegalmente o produto nas ruas. Além disso, Dalley exigiu que o governo o devolva seu dinheiro, cerca de US$ 110, além da dedução do imposto. A maconha é cultiva nas profundidades de uma mina desocupada em Flin Flon, Manitoba, pela empresa Prairie Plant Systems, que assinou um contrato com o governo por US$ 4,2 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.