REUTERS/Kevin Lamarque
REUTERS/Kevin Lamarque

Macri agradece Donald Trump por apoiar sua gestão na Argentina

Presidente argentino reconheceu norte-americano como "amigo" e agradeceu o "apoio e afeto" de Trump

O Estado de S.Paulo

18 Maio 2018 | 05h06

BUENOS AIRES - O presidente da Argentina, Mauricio Macri, agradeceu na última quinta-feira, 17, ao mandatário dos Estados Unidos, Donald Trump, a quem reconheceu como seu "amigo", o "apoio e afeto" mostrado com sua política econômica, em um momento onde o país sul-americano negocia um acordo financeiro com o Fundo Monetário Internacional (FMI).

"Obrigado, meu amigo, presidente Donald Trump, pelo seu apoio e para a Argentina. Valorizamos muito!", escreveu Macri, no Twitter. Estas expressões foram dadas minutos depois que Trump respaldasse na mesma rede social a gestão de seu colega na Argentina.

+ EUA apoiam negociação para socorro do FMI à Argentina

"Grande conversa com o meu amigo, o presidente Mauricio Macri, da Argentina esta semana. Ele está fazendo um bom trabalho para a Argentina. Apoio sua visão para transformar a economia do seu País e libertar seu potencial!", disse o republicano.

Os dois líderes, que se conhecem há anos como empresários, conversaram na última segunda-feira,  14, por telefone e, naquele momento, Trump ratificou o apoio de Macri nas conversas com o FMI.

Além disso, o líder argentino "compartilhou com o seu colega americano o desafio da Argentina de reduzir o déficit fiscal" e na conversa também foi debatido outros temas da agenda global, como o G20 - presidido neste ano pela Argentina -, a Coreia do Norte e a situação da Venezuela.

+ Macri diz que situação atual da Argentina não se compara a crises anteriores

No final do mês passado, o peso argentino começou a se depreciar abruptamente em relação ao dólar, como consequência, principalmente, da fuga de capital estrangeiro dos mercados emergentes para os Estados Unidos, devido ao aumento das taxas naquele país. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.