Juntos Por El Cambio/EFE
Juntos Por El Cambio/EFE

Macri compara populismo a uma 'mulher com cartão de crédito' e se desculpa 

A comparação foi feita durante uma entrevista a uma rádio quando o presidente criticava o governo de sua antecessora Cristina Kirchner, que respondeu e o chamou de machista

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de outubro de 2019 | 20h49

BUENOS AIRES - O presidente argentino, Mauricio Macri, disse nesta terça-feira, 15, que usou um "mau exemplo" ao comparar a gestão de sua antecessora, Cristina Fernández Kirchner (2007-2015), a uma mulher com um cartão de crédito na mão. Ele foi criticado por Cristina, que o chamou de machista. 

A comparação foi feita durante uma entrevista nesta terça-feira, 15, a uma rádio de Pergamino, quando o presidente criticava o governo anterior. "O populismo hipoteca o futuro para possamos viver um presente, e quanto se acaba, se acaba. É como dar a administração da sua casa para sua mulher, e ela, em vez de pagar as contas, usa o cartão de crédito e depois, um dia, tem de hipotecar a sua casa", afirmou Macri na entrevista. 

A frase repercutiu nas redes sociais, nas quais até mesmo Cristina se pronunciou. Em sua conta no Twitter, a candidata a vice-presidente na chapa liderada pelo peronista Alberto Fernández criticou Macri: "Viram? Eu disse a vocês que ele era um machista". 

A ex-presidente e atual senadora já havia chamado Macri de machista no passado, especificamente em maio de 2018, depois que o presidente pediu ao peronismo para que não se deixasse levar pelas loucuras de Cristina. 

Mais tarde, nesta terça-feira, o presidente se desculpou durante um ato político. "Falando pela manhã, usei um mau exemplo de um vídeo que havia assistido para explicar a economia, que colocava uma mulher como má administradora, quando, na realidade, deveria ter sido o contrário, porque elas administram melhor que nós", disse Macri, em um ato eleitoral na cidade de Pergamino, a menos de duas semanas para as eleições presidenciais, no dia 27.

No ato em Pergamino, onde seus partidários cantaram frases como "Argentina sem Cristina", Macri festejou o Dia da Mulher Rural, comemorado nesta terça-feira no país. "Essa força e essa gana que têm todos os dias é o que precisamos em todo o país mais do que nunca. As mulheres já são 43% da força de trabalho agrícola do mundo", disse o presidente. / EFE  

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.