EFE/PRESIDENCIA ARGENTINA
EFE/PRESIDENCIA ARGENTINA

Macri e Temer lembram resultado apertado na Colômbia para defender mais negociação

Presidente argentino estimulou negociadores a manter o cessar-fogo até encontrar uma alternativa para a rejeição popular ao acordo de paz

Rodrigo Cavalheiro, Correspondente / Buenos Aires, O Estado de S.Paulo

03 de outubro de 2016 | 15h44

BUENOS AIRES - O presidente argentino, Mauricio Macri, estimulou nesta segunda-feira, 3, os negociadores da paz na Colômbia a manter o cessar-fogo até encontrar uma alternativa para o rechaço ao acordo com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), decidido no referendo de domingo.

"A Colômbia seguirá os dias buscando a paz, que é importante para a América Latina inteira.  É preciso que continue o cessar-fogo, fundamental para encontrar alternativa. O resultado foi muito apertado. Demonstra que há muita gente que acredita no acordo. Também que muita gente que votou contra quer o mesmo, mas com outro tipo de acordo."

As declarações foram dadas ao lado do presidente brasileiro, Michel Temer, que fez sua primeira visita bilateral. "A consulta popular se deu com 40% dos eleitores e a diferença foi mínima. A paz será útil para a Colômbia e para os demais países do continente", afirmou Temer na Quinta de Olivos, residência oficial do presidente argentino.

Veja abaixo: Colômbia vive momento de incerteza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.