AFP PHOTO / POOL / TOBY MELVILLE
AFP PHOTO / POOL / TOBY MELVILLE

EUA, França e Alemanha se unem ao Reino Unido e culpam Rússia por envenenamento de ex-espião

Líderes defendem que uso de arma química é 'um ataque à soberania britânica' e 'uma violação da lei internacional'; presidente francês afirmou que anunciará medidas 'nos próximos dias'

O Estado de S.Paulo

15 Março 2018 | 09h59
Atualizado 15 Março 2018 | 23h12

PARIS - Os líderes dos EUA, França, Alemanha e Reino Unido disseram nesta quinta-feira, 15, que estão unidos ao responsabilizar a Rússia pelo envenenamento do ex-espião russo Serguei Skripal. Em um comunicado conjunto, os respectivos líderes Donald Trump, Emmanuel Macron, Angela Merkel e Theresa May afirmaram que "não há explicação alternativa plausível" para a responsabilidade de Moscou no ataque do dia 4 de março.

+ Londres expulsa 23 diplomatas russos identificados como espiões e corta contato bilateral com Moscou

+ Quem se beneficiaria com a morte do ex-espião russo Skripal?

Eles argumentam que a falha da Rússia em responder aos "pedidos legítimos" de Londres por uma explicação "destacam ainda mais a sua responsabilidade". Os líderes defendem que o uso de arma química é "um ataque à soberania do Reino Unido" e "uma violação da lei internacional".

+ Governo britânico alerta para intimidações a ingleses na Rússia na Copa

+ Rússia diz que é inocente no caso de ex-espião envenenado e pede acesso a agente químico

Mais cedo, Macron afirmou que anunciará "nos próximos dias" as medidas que pretende tomar com relação ao caso do ex-agente duplo. "Anunciarei nos próximos dias as medidas que vamos tomar", declarou Macron à imprensa local. Ele voltou a condenar o ataque "nos mais duros termos", um ato o qual "tudo leva a crer que a responsabilidade seja da Rússia".

De acordo com um comunicado divulgado pelo Palácio do Eliseu, Macron considera que "não há outra explicação possível" para o recente episódio. "Desde o início da semana, o Reino Unido manteve a França informada sobre as provas coletadas pelos investigadores britânicos e os elementos que demonstram a responsabilidade da Rússia no ataque. A França compartilha a opinião do Reino Unido de que não há outra explicação possível e expressa sua solidariedade a seu aliado.”

Macron e May "concordam na importância da unidade europeia e transatlântica na resposta a este ato" e "continuarão em contato estreito nos próximos dias", afirmou a Presidência francesa.

Na quarta-feira, May anunciou uma série de sanções contra a Rússia, entre elas a expulsão de 23 diplomatas russos e a interrupção dos contatos bilaterais, considerando Moscou "culpado" pelo envenenamento de Skripal, de 66 anos, e de sua filha Yulia, de 33 anos. Os dois estão internados em estado grave. / AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.