Madri aceita versão do Marrocos sobre espanhóis mortos

A Espanha anunciou hoje que aceitou a explicação do Marrocos a respeito de um episódio no qual dois espanhóis foram espancados numa manifestação a favor da independência do Saara Ocidental, que aconteceu no sábado à noite na capital do disputado território, El Aaiún (Laâyoune). Os espanhóis foram espancados por populares e não pela polícia marroquina. O Saara Ocidental é uma ex-colônia espanhola que foi ocupada a partir de 1979 pelo Marrocos, que travou uma guerra contra uma guerrilha local que quer a independência, a Frente Polisário.

AE-AP, Agência Estado

31 de agosto de 2010 | 14h37

O vice-ministro do Exterior da Espanha, Juan Pablo de la Iglesia, disse que o país aceitou a explicação do Marrocos de que os 14 espanhóis estavam realizando uma manifestação proibida em El Aaiún, para a qual não haviam obtido permissão. Transeuntes marroquinos que passavam pelo local agrediram os manifestantes e a polícia do Marrocos teve que protegê-los, segundo a versão marroquina dos fatos, contada por Iglesia.

Dos 14 manifestantes, 11 foram detidos por horas antes de serem enviados às Ilhas Canárias, ontem. O ministro espanhol telefonou ontem para seu congênere marroquino em busca de uma explicação e disse que o incidente agora está encerrado.

Contudo, manifestantes contaram que entre os populares estavam homens com rádios policiais, que pareciam orquestrar a agressão. Esse novo incidente entre a Espanha e o Marrocos é o segundo em uma semana após os países concordarem em resolver o conflito a respeito do bloqueio a Melilla, cidade espanhola na fronteira com o Marrocos na costa do Norte da África.

O Saara Ocidental é um território rico em minerais que foi colônia espanhola até 1975. O Marrocos invadiu a região em 1979. A população local quer a independência e uma trégua foi assinada em 1991 entre o Marrocos e a Frente Polisário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.